Sim, é verdade que viajar como voluntário é provavelmente a forma mais econômica (e possivelmente mais divertida) de conhecer o mundo. Se você quer saber como isso funciona e como pode ter acesso a essas oportunidades, saiba que está no lugar certo! Já existe aqui no blog materiais que vão te ajudar a entender sobre o assunto. Clique aqui para entender como tudo funciona. Além disso, também contei os detalhes da minha experiência pessoal como voluntária na Califórnia em outro texto, disponível aqui. No entanto, percebi que mais uma questão tem despertado a curiosidade daqueles interessados no assunto: quanto custa ser um voluntário?

money-932401_1920

Intercâmbio: as DECEPÇÕES que escondi até hoje

Essa é uma pergunta pertinente, pois eu mesma já me assustei várias vezes ao buscar tais oportunidades e constatar que ajudar o próximo pode custar bem mais do que seu tempo e sua boa vontade. Antes de encontrar sites como o Workaway, HelpX e WWOOF, minhas buscas me levavam a organizações não governamentais (ONGs) com propostas super interessantes, porém sempre bem caras. Além de trabalhar sem nenhuma retribuição financeira, essas organizações esperavam que o voluntário se comprometesse por no mínimo seis meses (às vezes o mínimo era um ou dois anos) e arcasse com todas as despesas, como acomodação, alimentação e transporte. Todas essas condições me deixavam bastante desanimada quanto à esse tipo de experiência como voluntária, até felizmente encontrar as alternativas acima citadas.

Por uma preferência pessoal, escolhi o site do Workaway para encarar uma das mais surpreendentes aventuras da minha vida, o trabalho como voluntária na Califórnia (clique aqui para ler mais sobre isso). Após dividir aqui informações dessa curiosa experiência, notei que algumas pessoas queriam saber mais sobre os reais custos desse tipo de experiência.

moneyyy

Conselhos para se dar bem como voluntário

A verdade é que os custos podem variar bastante, mas vou me esforçar para que essa resposta seja o mais esclarecedora possível. Para isso, deixe-me explicar alguns fatores que podem encarecer ou baratear sua viagem:

  • O Destino

Antes mesmo de começar sua aventura, você terá a despesa do transporte até o lugar. Se você quer ser um voluntário em seu próprio país, pode conseguir chegar ao destino de forma simples e barata. Se você já está na Europa e quer viver essa experiência em um país vizinho também pode encontrar uma passagem econômica. Porém, se está no Brasil e quer ser um voluntário no exterior, os valores das passagens podem variar muito. Além disso, a época do ano na qual pretende ir e voltar também influenciará, pois sabemos que as passagens aéreas sobem de preço na alta temporada.

Outro aspecto a ser considerado é a moeda do país para o qual pretende viajar. É recomendável que você leve algum dinheiro para emergências ou passeios… então, certamente uma ida à Inglaterra ou Escandinávia custará mais do que uma ida a algum país da América do Sul.

  • As Condições Acordadas

Cada oportunidade anunciada nos sites para trabalho voluntário tem suas particularidades e é essencial que se preste o máximo de atenção durante as buscas. Nem todos os hosts (anfitriões) se comprometem a fornecer refeições e isso fatalmente influenciará nos custos da viagem. Já vi anúncios de fazendas que recebem voluntários, não oferecem todas as refeições e vendem os alimentos. Nesses casos, os voluntários ficam sem alternativas, pois as fazendas são afastadas das cidades e eles acabam tendo que comprar os produtos pelo preço que custarem na fazenda. Cuidado com essas furadas! Tudo isso pode ser facilmente evitado com uma leitura cuidadosa da oportunidade anunciada e com trocas de emails esclarecedores entre voluntários e hosts.

  • A Duração da Viagem

Leve isso em conta e pense nos passeios que gostaria de fazer nesse período. Se você tem que pagar pelos alimentos, faça um cálculo aproximado (de preferência com folga) para essa despesa. Afinal, você não quer passar fome!

Em geral, trabalha-se 5 dias na semana e os outros 2 são livres. É provável que você queira se divertir enquanto não trabalha e isso costuma ter um preço. Esteja preparado!

  • Em Quantos Lugares Será Voluntário

Conheci gente que ficou longe de casa por bastante tempo, rodando por aí como voluntário. Essas pessoas ficavam semanas ou meses em um destino e então dirigiam-se a outra cidade ou país. Esses deslocamentos eram por conta deles, mais uma despesa que entra na conta. Com frequência eles revezavam entre hosts que providenciavam refeições e hosts que não providenciavam. É bom ter em mente que é menos comum encontrar lugares que te ofereçam pensão completa.

legs-434918_1280

Como é o trabalho de um viajante voluntário?

  • As Adversidades

Saiba que elas podem ocorrer. Você pode ficar doente, sua mala pode nunca chegar no destino e você terá que comprar um monte de coisas que não estava nos planos. Você pode ter combinado 3 semanas de hospedagem, simplesmente detestar a experiência e decidir ir embora após 4 dias, tendo que arcar com despesas de acomodação e alimentação até o fim da viagem. Nunca se sabe! Muitas coisas podem sair fora do esperado e, por isso, recomendo que tenha em caixa um valor emergencial. No mínimo, tenha o valor da taxa de alteração da passagem de volta.

  • Características pessoais

Você é uma pessoa consumista ou econômica? Consegue sobreviver quanto tempo sem comprar uma coisinha nova ou sem visitar a manicure? Nos seus dias livres, quais atividades te dão prazer: uma caminhada pela cidade/parque ou um jantar glamouroso no melhor restaurante da região? Quantas “lembrancinhas” você quer comprar para os amigos, familiares e para si próprio?

Por essas e outras, o valor de uma viagem de qualquer tipo é algo bem pessoal. Apenas você pode estimar o quanto sua viagem vai custar, baseado em seus hábitos, possibilidades e preferências. Pessoas consumistas sempre encontram oportunidades para tornar seus dias mais caros, mesmo quando não saem do próprio bairro. Porém, se você se encaixa em um perfil mais comedido, garanto que uma viagem desse tipo pode te sair super barato! Pesquisando com cuidado, dá para pagar o transporte até o destino e gastar nada ou quase nada durante sua estadia com o host. Por isso eu repito o que disse no início do texto: é verdade que viajar como voluntário é provavelmente a forma mais econômica (e possivelmente mais divertida) de conhecer o mundo.


No canal do Planeta BM existe uma série chamada DIÁRIO WORKAWAY, que mostra em detalhes minha experiência como voluntária, além de explicar e dar dicar sobre esse tipo de viagem. Abaixo, confira o primeiro vídeo da série com informações esclarecedoras sobre o Workaway:

Para acompanhar toda a aventura, inscreva-se no canal e ative as notificações para ser avisado sobre os novos vídeos!