Quero viajar para o Canadá, e agora? Por onde começo?

Segura a onda que temos boas notícias! O Planeta BM vai te dar uma forcinha – e muito incentivo – para que sua experiência no hemisfério norte seja ainda melhor do que você imagina. Abaixo foram listados pontos importantes de se levar em consideração durante o processo de organização/programação da sua viagem. Lá vai:

1. Atente-se ao visto

passport

É indispensável ter o visto para a entrada no Canadá, dependendo da sua nacionalidade.

Sim, brasileiros precisam de visto para entrar no Canadá!

Pelo menos até o presente momento. E esse visto é tirado com antecedência. Sugiro que pesquise essas informações online e verifique qual o consulado canadense mais próximo de onde você vive. Algumas informações podem ser encontradas no site da Embaixada do Canadá no Brasil (clique aqui).

Eu tenho cidadania italiana, então não preciso tirar visto com antecedência. No entanto, a partir de setembro de 2016 os europeus precisam preencher um formulário online (ETA) e pagar uma pequena taxa antes de embarcar. O pagamento é feito pela internet, com cartão internacional. Não durma no ponto, se informe! Inclusive porque essa regra não se aplica a todos os países da Europa.

Saiba se você precisa preencher o ETA (clique aqui).

2. Informe-se sobre o idioma falado

O Canadá é oficialmente um país bilíngue. Isso significa que em algumas partes o idioma principal é o inglês e, em outros lugares, é o francês. Entenda isso e não pressuponha que todas as pessoas vão se comunicar contigo em inglês numa boa.

Muitas pessoas não falam inglês no Canadá e sim francês!

“Ah, mas elas entendem”. Nem sempre, baby! Passei uns apuros e, por isso, falo por experiência. Em Montreal, por exemplo, peguei um táxi e foi um sufoco. Ele não falava nada de inglês e nem eu falo francês. Nossa comunicação foi complicada e eu tive que arrumar um papel e caneta para escrever o nome e endereço de onde eu queria ir, pois falando ele não entendia meu “sotaque”. Na verdade, não era sotaque, era apenas a pronúncia das mesmas palavras em inglês. Isso dá uma ideia do quão alheio ao idioma ele era. Tanto quanto eu sou alheia ao idioma francês. No fim, deu certo, mas essa não foi a única situação na qual tive problemas para ser compreendida.

Isso não quer dizer que você tenha que fazer um curso intensivo de francês (ou inglês) antes de ir para o Canadá. Quer dizer apenas que você deve estar preparado caso essas situações aconteçam. Apesar disso tudo, as chances de você passar perrengue são menores em locais turísticos e, felizmente, é verdade que a maioria das pessoas entende sim o inglês.

3. Verifique as distâncias e meios de transporte

car2

Talvez você não saiba, mas o Canadá é o segundo maior país do mundo. Isso quer dizer que algumas distâncias que parecem ser pequenas ao olharmos no mapa podem exigir longas horas de deslocamento. Não deixe de verificar isso e também de escolher o meio de transporte mais apropriado para ir de um lugar ao outro.

Dentro das cidades grandes (como Toronto, Vancouver e outras), o transporte público funciona muito bem. É provável que você não sinta a necessidade de um carro para conhecer os pontos turísticos. Porém, se estiver dependendo do transporte público para ir de uma cidade a outra, preste muita atenção aos horários de saída e chegada, além dos valores, claro. Em alguns casos, pode compensar alugar um carro.

4. Desbloqueie seu cartão internacional

O fato de ter um cartão internacional fornecido pelo banco não significa que você pode usá-lo fora do Brasil automaticamente. Por medidas de segurança, é necessário que você avise o banco sobre qualquer viagem internacional.

Faça isso alguns dias antes da sua viagem. Muitas vezes este aviso nem pode ser feito com mais de 15 ou 30 dias de antecedência – novamente, por medidas de segurança. Talvez você consiga enviar esse aviso online, de forma bem simples e rápida. Você pode fazer isso sozinho, através do internet banking, ou mandar um email ao seu gerente solicitando do aviso ao cartão. Neste caso, suplico que se certifique de que o gerente respondeu a sua mensagem confirmando a realização da operação.

5. Pense nas condições climáticas

freezing

O Canadá é, sem dúvidas, um excelente destino para as suas férias. São encantadores cenários que lá te esperam, muitas flores coloridas e montanhas imponentes. Porém, não é novidade que o inverno é verdadeiramente frio, né? Então pesquise bem sobre as temperaturas e chances de chuva na época da sua viagem, pois o frio de lá pode não ser brincadeira.

Quem vai para Vancouver, por exemplo, corre menos riscos. Ok, claro que lá faz frio, neva e chove muito em determinados meses do ano. Mesmo assim, as temperaturas costumam ser bem mais agradáveis do que as da outra extremidade do país. De qualquer forma, deixo claro que, na minha opinião,

a primavera e o verão são as melhores estações para viajar pelo país.

Se você tiver interessado em conhecer o lugar mais lindo do mundo (clique aqui), saiba que ele fica logo ali no Canadá. Já publiquei aqui no blog um roteiro bem completo de 2 dias no Banff National Park – clique nos links para acessá-lo:

Banff National Park – Roteiro de 2 dias – Parte 01

Banff National Park – Roteiro de 2 dias – Parte 02

Se seu destino escolhido for esse, recomendo novamente que fique atento à previsão do tempo. Desculpem a franqueza, mas… “choveu, fodeu”. Bem isso! Como deve ter dado para perceber pelas programações do roteiro, a maioria das atividade são ao ar livre. A boa notícia é que não costuma chover muito durante o verão. A má notícia, para mim, é que 2016 teve um verão um tanto quanto incomum em Alberta e choveu bastante. 🙁

Para mais detalhes sobre quais são os melhores meses para essa viagem (e o que fazer em cada estação), leia:

Qual a melhor época para visitar as Rocky Mountains?

6. Seja flexível com sua programação

Independente de onde esteja, essa é uma dica sempre importante. Imprevistos acontecem. É normal, e não o fim do mundo. Tomemos como exemplo esse roteiro de 2 dias no Banff National Park que anunciei acima. Na verdade, o roteiro apresentado é o roteiro ideal, e era minha intenção realizá-lo tim-tim por tim-tim. Porém, na manhã que saí de Calgary a previsão dizia 100% de chance de chuva para o dia seguinte. Assim sendo, mudei os planos na hora e fiz primeiro o roteiro do dia 2 (o desse post), já que o roteiro do dia 1 tinha pelo menos algumas atividades possíveis com chuva e também porque eu fazia máxima questão de tirar fotos lindas nos lagos do dia 2.

Foi uma boa sacada, pois realmente choveu o dia todo no meu segundo dia em Banff. Mesmo assim, deu para aproveitar o Fairmont, a cidade de Banff e ver as Bow Falls rapidinho. Infelizmente, a Sulphur Mountain ficou para a próxima. A chuva não deu trégua! Mas, dos males o menor: fica aí um bom motivo para voltar pras Rockies!

old-1130743

Aprenda a economizar em reservas de hotéis – Clique e confira!


Espero que o texto tenha ajudado os futuros viajantes. Não deixe de voltar aqui depois para contar como foi sua viagem pela tão amada terrinha canadense!